top of page

Você sabia que a eficiência reprodutiva das matrizes tem impacto na emissão de GEE?

Atualizado: 26 de fev. de 2023

Melhorar os índices reprodutivos dos animais representa um grande potencial para reduzir as emissões dos gases de efeito estufa provenientes da produção de leite, já que animais mais saudáveis são mais produtivos e, assim, geram menos emissões por unidade de leite produzida.


Em 2019, a Food and Agriculture Organization e a Global Dairy Platform publicaram o relatório “Climate Change and the Global Dairy Cattle Sector” (Mudanças Climáticas e o Setor de Pecuária Leiteira Mundial). Esta revisão mostrou que melhorar os índices reprodutivos dos animais representa um grande potencial para reduzir as emissões dos gases de efeito estufa provenientes da produção de leite, já que animais mais saudáveis são mais produtivos e, assim, geram menos emissões por unidade de leite produzida.


O baixo desempenho reprodutivo custa entre £2-4/vaca/dia no Reino Unido (Esslemont e Kossaibati, 2002) ou até $3/vaca/dia em análises econômicas dos EUA (de Vries, 2006). Além de impactar na lucratividade, a baixa eficiência reprodutiva aumenta a sobrecarga ambiental ao prolongar lactações de baixa produção, reduzindo o número de bezerras nascidas e aumentando a necessidade de animais de reposição adicionais, que impactam as emissões de GEE sem produção para compensar.


A análise dos indicadores-chave de desempenho reprodutivo (KPIs), bem como a descrição das medidas de melhoria e avaliação dos progressos são fundamentais para a implementação de um programa de redução de emissões de GEE por meio da reprodução (Tabela 1).


Investimentos relativamente baixos para o diagnóstico de prenhez podem oferecer um retorno significativo. Dados do relatório mostram que o benefício econômico da implementação da melhoria de índices zootécnicos, relacionados ao desempenho reprodutivo, pode ser resumido pela redução do intervalo entre partos (IC). Se o IC for reduzido em 10 dias, o benefício seria estimado em aproximadamente US$ 20-25/vaca/ano no rebanho, utilizando ferramentas de detecção de cio e diagnóstico de gestação, com custo de apenas US$ 2-3/vaca/ano (Reino Unido) US$ 2-10/vaca/ano (Chile), US$ 7-15/vaca/ano (Quênia). Isso representa, portanto, um retorno potencial de dez vezes no investimento/ano (Reino Unido e Chile) e de duas a três vezes no investimento/ano (Quênia). Com base nisso, reduzir o UC em um único dia (Reino Unido e Chile) ou 2-3 dias (Quênia) cobre todo o custo de investir na ferramenta de detecção de cio.


Além dos benefícios econômicos, o relatório mostrou um grande potencial para redução da emissão de GEE (em média 7-24%) por meio do aumento da fertilidade das vacas no Chile, Quênia e Reino Unido. Esse valor aumenta consideravelmente (10-44%) nos 10% piores rebanhos desses países, representando uma grande oportunidade para reduzir a sobrecarga ambiental (Tabela 2). Outro dado, de Sandars et al. (2018), mostrou que o diagnóstico precoce de gestação por ultrassom reduziu a intensidade de GEE na produção de leite em 2,5% em comparação com o diagnóstico por exame manual, equivalente a um benefício de 0,026 kg CO2e/litro de leite.


Tabela 1: Indicadores-chave de desempenho reprodutivo (KPIs)

MEDIDA (KPI)

DESCRIÇÃO DA MEDIDA

INDICADOR DE PROGRESSO

DESCARTE POR INFERTILIDADE

​Número de vacas descartadas de um rebanho por falha na concepção, em um determinado período (geralmente 12 meses), como porcentagem do número total de vacas parindo no período.

Redução de 12-18% para uma meta de 6%

INTERVALO ENTRE PARTOS

A quantidade de tempo (dias ou meses) entre o nascimento de um bezerro e o nascimento de um bezerro subsequente, ambos da mesma vaca. Com base no diagnóstico de gestação e dados de parto

Redução de 425 para 365 dias

Complemento:

EVIDÊNCIA DE VERIFICAÇÃO

COMO O PROGRESSO É ALCANÇADO

Diagnóstico precoce de prenhez pelo veterinário: o diagnóstico é geralmente realizado por palpação manual, podendo ser melhorado com a utilização de ultrassom. A verificação é feita por auditoria nos relatórios veterinários.

Esta ferramenta permite a identificação precoce de animais não prenhes, que podem ser descartados, reduzindo a reprodução tardia, lactações prolongadas e, consequentemente, o intervalo entre partos.

Uso de sensores e ferramentas para detecção de cio: a ovulação pode ser prevista por meio dos sinais comportamentais do estro em bovinos. A utilização de sensores e outras ferramentas têm o potencial de aumentar as taxas de detecção.

A verificação pode ser realizada por meio dos registos de reprodução que demonstrem que os animais elegíveis foram inseminados no prazo previsto.


O aumento nas taxas de detecção do cio podem reduzir o intervalo entre partos e os descartes por infertilidade.

Uso de programas de inseminação artificial em tempo fixo: os desafios de detecção de estro podem ser contornados por meio da utilização de programas de inseminação em tempo fixo, nos quais o momento da ovulação é controlado artificialmente por injeções hormonais.

A verificação pode ser realizada por meio dos registros veterinários, de reprodução e de uso de medicamentos.

Esta ferramenta pode reduzir o intervalo entre partos e os descartes por infertilidade.

Tabela 2: Potencial reprodutivo para redução da intensidade de GEE


Condição

Chile

Quênia

Reino Unido

Infertilidade

7%

24%​

7%

Infertilidade nos 10% piores rebanhos

10%

44%

16%

Fontes:


Esslemont, R.J. and Kossaibati, M. (2002) The costs of poor fertility and disease in UK dairy herds. DAIRY Research Report No 5.

de Vries, A. (2006). Economic value of pregnancy in dairy cattle. J. Dairy Sci. 89:3876–3885.

Sandars, D., Williams, A., Scott, J., Black, D, Reader, J, Brownlee, G, King, A. Cairns, L., Statham, J.M.E. (2018) The environmental Life Cycle Assessment (LCA) of better health management in cattle: The cases of ultrasound pregnancy diagnosis, bovine viral diarrhoea, and calf pneumonia. Cattle Practice 26 (2), 125-126. DataVet: project funded by Innovate UK. http://datavet.co.uk/

Dairy Cattle Health and Greenhouse Gas Emissions Pilot Study: Chile, Kenya and the UK. Jonathan Statham, Harriet Scott, Sian Statham and Judith Acton - RAFT Solutions Ltd, Adrian Williams and Daniel Sandars - Cranfield University, October 2020.


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

댓글


bottom of page